segunda-feira, 23 de julho de 2018

Justiça proíbe policiais civis do Rio Grande do Norte de deflagrarem greve

Imagem relacionada
O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte atendeu ao pedido preventivo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e determinou a proibição de movimentos grevistas por parte de policiais civis do Estado. A decisão foi do desembargador Amilcar Maia.

O PGE antecipou o pedido a futura manifestações grevistas por parte da categoria. Na decisão, o desembargador, que é relator do caso, citou que a atuação dos policiais na segurança pública é uma serviço essencial e que a greve viola a ordem pública. O magistrado declarou ilegalidade do movimento Operação Zero e determinou a imediata suspensão da greve e o retorno dos representantes da categoria que aderiram a paralisação ao trabalho.

O desembargador definiu uma multa diária no valor de 20 mil em caso de descumprimento.

No último dia 13 de julho, os policiais civis realizaram um protesto reivindicando o pagamento do 13° salário de 2017, a ação foi chamada Operação Zero. Os agentes e escrivães se concentram na sede da Delegacia Geral, em Natal-RN. Em Natal só a Delegacia de Plantão da Zona Norte está atendendo a população, já no interior os registros de ocorrências e flagrantes estão sendo feitos nas delegacias regionais.

Agora RN

Prefeitura de Natal revoga lei que proibia presença de cachorros em Praias

Resultado de imagem para cachorros na praia
A Prefeitura de Natal revogou a lei que proibia a presença de cachorros nas praias da capital potiguar. A revogação foi publicada no Diário Oficial do Município e assinada pelo prefeito Álvaro Dias.

Após a revogação, fica permitido o acesso de cães nas praias da cidade, na presença do seu tutor, portando documento que comprove vacinação e vermifugação em dia.

A publicação do DOM também informa que os proprietários dos animais são obrigados a recolher as fezes ou qualquer outro tipo de resíduo sólido dos cachorros, sob pena de multa.

Com informações do G1/RN

domingo, 22 de julho de 2018

RN está entre os estados com mais investigações de crimes eleitorais no Brasil

Resultado de imagem para investigações de crimes eleitorais
Estados do Norte e do Nordeste concentram, proporcionalmente, o maior número de investigações por crimes eleitorais no País no período de uma década. Nas últimas seis eleições (2006-2016), Roraima, Acre, Rio Grande do Norte, Paraíba, Tocantins e Amapá tiveram a maior relação de inquéritos policiais por eleitor no Brasil. A maioria dos procedimentos abertos se refere a compra de voto.

Os números fazem parte de um levantamento feito pelo jornal O Estado de São Paulo com base em relatórios da Polícia Federal obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). A reportagem comparou dados do número de inquéritos de matéria eleitoral enviados pela Divisão de Assuntos Sociais e Políticos (Dasp), da Polícia Federal, com a quantidade de eleitores de cada um desses Estados.

Na década, considerando apenas os pleitos nacionais, houve crescimento de 8,9% no número de inquéritos: de 1.022 para 1.113 No Ceará e em Roraima, os casos crescem ano a ano. No entanto, houve queda na quantidade de crimes eleitorais referentes aos pleitos municipais. Ainda assim, foram abertos 2.073 inquéritos em 2016 – ante 3.528 em 2008 (diminuição de 41,2%).

Procuradores eleitorais, delegados e presidentes dos tribunais regionais eleitorais ouvidos pelo jornal o Estado de São Paulo apontam que esse tipo de problema é impulsionado pela dependência que essas regiões têm em relação a empregos relacionados à máquina pública. Roraima é o Estado que mais registrou esse tipo de ocorrência – 12,9 por cada 100 mil eleitores, em média, na década.

“De dez anos para cá o voto de cabresto tem diminuído, mas ainda é um grande problema. A falta de acesso a educação e profissionalização, e por consequência, postos de trabalho, faz com que esses eleitores dependam muito de vínculos políticos regionais”, disse o secretário judiciário do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, Helder Silva Barbosa.

Segundo ele, houve uma “institucionalização” do voto de cabresto em algumas regiões. “Prefeitos ameaçam terceirizados ou dizem aos eleitores que as escolas vão fechar, o vale gás não será mais concedido e aquele contrato terceirizado será cancelado.”

Reforço policial

Em razão do número de casos registrados, Norte e Nordeste são as regiões que mais receberam, na década, reforço da Polícia Federal no período eleitoral, tanto no primeiro quanto no segundo turno das eleições, segundo relatórios da PF. Dos oito Estados que pediram auxílio para a realização do último pleito nacional em 2014, sete eram dessas regiões, além do Distrito Federal.

Ainda assim, esses números podem representar apenas parte do fenômeno, já que muitas denúncias não resultam em inquérito. “A maior parte dos crimes eleitorais é de menor potencial ofensivo, como boca de urna e, via de regra, não resulta em inquérito policial. A apuração é feita em termo circunstanciado”, diz o procurador regional eleitoral em Rondônia, Luiz Gustavo Mantovani.

Para o professor de direito da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e promotor de Justiça Tácito Yuri de Melo Barros, a crise econômica e a forte dependência dos cargos públicos contribuem para que esse tipo de crime seja comum nessas regiões.

“No Norte e no Nordeste essas questões são mais acentuadas, pois têm a ver com as necessidades da população. Às vezes a moeda de troca é ainda mais simples, nem sequer é um bem durável, mas sim comida, um botijão de gás”, diz.

Para o professor de Direito Eleitoral da FGV São Paulo e do Mackenzie, Diogo Rais, uma das explicações pode estar na importância da eleição na vida desses cidadãos. “Vive-se mais dentro da máquina pública do que em outras regiões. Em cidades menores o risco é ainda maior.”

Mecanismos de prevenção

Estados das regiões Norte e Nordeste e autoridades locais criaram mecanismos para evitar crimes eleitorais como a compra de voto, além de elaborarem campanhas de conscientização na população, mostrando as penalidades previstas em lei.

Alagoas e Amapá, por exemplo, aprovaram na última semana recomendações aos proprietários de postos de combustível: só pode ser emitido vale-combustível para pessoas físicas ou jurídicas mediante a formalização de um contrato prévio, que deve ser comunicado à Procuradoria Regional Eleitoral 20 dias antes.

O documento também pede o controle, por parte do posto, da quantidade de carros e motos abastecidos, e também veta a realização de doação de combustível a táxis, mototáxis e carros de placa vermelha. Trata-se de uma medida para coibir a compra de voto em troca de combustível. Outra proposta, ainda em discussão, é a de limitar saques em notas pequenas na semana da eleição.

No Rio Grande do Norte, a procuradora regional eleitoral Cibele Benevides emitiu recomendações que reforçam pontos já existentes da legislação eleitoral. Uma delas é a instrução de que igrejas orientem todos os seus líderes religiosos para evitar que façam qualquer tipo de veiculação de propaganda eleitoral em cultos.

Em outra, o órgão alerta para a possibilidade de responsabilizar os partidos em casos de candidaturas “laranja” de mulheres para preencher a cota de gênero. O Estado também vai “copiar” a recomendação sobre venda de combustível posta em Alagoas e Amapá “Muitas vezes não se sabe a consequência de cometer esse tipo de crime. A recomendação vai neste sentido, de educar”, diz a procuradora.

Estadão Conteúdo

Base da PM localizada em frente ao Mosquito é alvo de disparos de arma de fogo


Resultado de imagem para base movel na ponte de igapo
A base da Polícia Militar inaugurada pelo governador Robinson Faria nas proximidades da comunidade do Mosquito foi alvo de disparos de armas de fogo na noite deste sábado (21). O ataque aconteceu pouco depois de duas semanas da inauguração do equipamento.

Apesar do susto, de acordo com a Polícia Militar, o efetivo posto à margem de quem sai da zona norte de Natal pela Ponte de Igapó não foi atingido.

Quando inaugurada, a base da Polícia Rodoviária Estadual, que se trata de um furgão, teve a estrutura reprovada pelo tenente-coronel Fábio Araújo, comandante do 9° Batalhão, responsável pelo patrulhamento ostensivo da área.

“[Aqui] é um local insalubre para se trabalhar. Fora a questão de não ter banheiro e também não ter água para os policiais”, declarou Araújo.

Apesar de ser de policiamento rodoviário, a base móvel foi inaugurada pelo governador Robinson Faria com o objetivo de coibir ações de facções criminosas na Comunidade do Mosquito. A área tem sido alvo constante de confrontos violentos entre criminosos, com vários registros de mortes.

Boatos nas redes sociais teriam causado chacina em Nísia Floresta, dizem familiares

No local da chacina, ainda é possível observar marcas de sangue pelo chão
As famílias dos cinco jovens assassinados em Nísia Floresta, na região metropolitana de Natal, acreditam que os homens foram assassinados na noite deste sábado (21), por causa de supostos boatos espalhados em uma rede social de que estariam cometendo assaltos na cidade. Uma sexta vítima foi levada ao Hospital Deoclécio Marques de Lucena, em Parnamirim, em estado estado de saúde grave. O homem está no centro cirúrgico

.Na mensagem, veiculada na sexta-feira, 20, aparece um texto seguido das fotos dos rapazes. Dos que aparecem nas imagens, três foram assassinados na chacina do sábado. “Segundo populares de Nísia Floresta, esses indivíduos são acusados de vários delitos na comunidade e muitos deles já foram reconhecidos por várias vítimas”, diz a mensagem que circulou em diversos grupos de Whatsapp, como mostrou uma das irmãs de uma das vítimas à TRIBUNA DO NORTE.

Ao contrário do que está escrito nas mensagens, as famílias dos jovens, em unanimidade, negam que eles tenham envolvimento com crimes. Todos entre 16 e 33 anos de idade, os cinco rapazes nasceram e foram criados em Nísia Floresta. A mãe de um dos adolescentes, que pediu para não ser identificada por medo de retaliação, estava consternada com o crime na manhã deste domingo (22). “Todas as noites eu estabelecia um horário para ele voltar para casa, e ele obedecia. Era um bom filho, bom neto e irmão”, disse a mulher, relatando que essa seria a primeira vez em que iria ao Itep (para reconhecer o corpo do filho).

De acordo com a Polícia Militar, os rapazes foram assassinados com disparos de arma de fogo na cabeça. O sargento Josemir de Salles, comandante da Polícia Militar de Nísia Floresta, disse que recebeu um chamado do Copon para ir até o local do crime por volta das 20h. Quando chegou lá, cinco pessoas estavam mortas.

O local em que os rapazes morreram fica há menos de 300 metros da Delegacia de Polícia Civil e da Companhia de Polícia Militar da cidade. De acordo com o sargento, ao chegar ao local a única informação dada por testemunhas foi de que o carro era preto e as armas foram apontadas para a cabeça dos jovens. De acordo com a Polícia Militar, eles estavam na calçada de uma casa verde com alpendre, quando foram surpreendidos por pessoas em um carro preto, que mandaram os seis rapazes deitarem no chão para serem assassinados. 

De acordo com informações disponibilizadas no registro de óbitos do Instituto Técnico Científico de Perícia (Itep/RN), as vítimas da chacina em Nísia Floresta eram adolescentes e jovens adultos. Entre os que morreram no local, o mais novo tinha 16 anos, seguido de mais um adolescente de 17 anos. Outra vítima tinha 18 anos e os dois mais velhos, 20 e 33 anos de idade, respectivamente. As vítimas não tinham passagem pela polícia, segundo informou a PM.

Conforme informações do Instituto Técnico Científico de Perícia (Itep/RN), outros três homicídios foram registrados em Natal e região metropolitana na noite deste sábado, 21, e madrugada deste domingo, 22. Um duplo assassinato ocorreu na Rua Santo Elias, no Conjunto Pajuçara, zona Norte da capital, na noite do sábado. As vítimas foram dois homens com 19 e 21 anos de idade. Na madrugada deste domingo, em Macaíba, um homem de 25 anos foi assassinado dentro de uma casa na Travessa Frei Damião, no Bairro Campos das Mangueiras.

Tribuna do Norte

sábado, 21 de julho de 2018

Bastidores da política especulam Henrique Alves candidato a deputado estadual

As especulações sobre uma possível candidatura de Henrique Alves ao posto deputado estadual são o bochicho político deste fim de semana. O ex-deputado federal e ex-ministro do Turismo não se posicionou sobre o assunto, mas como disse em depoimento à Justiça quando foi solto, a política está tatuada em sua alma.

Apesar das fofocas de bastidores, o advogado de Henrique Alves, Marcelo Leal, disse que conversou com seu cliente, que garantiu a não participação nestas eleições. “Não faz sentido participar desta eleição como candidato e muito menos como coordenador de campanha. Nessa ele não vem, mas Henrique não abandonará a política. Ele pode ser candidato, mas o que existe mesmo é muito boato”, disse Leal. Henrique Alves continua respondendo processos, só que agora em liberdade.

Agora RN

Fátima Bezerra acredita ser eleita no 1º turno caso as eleições fossem hoje

Resultado de imagem para fatima bezerra
A senadora e pré-candidata ao governo do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, afirmou na manhã deste sábado, durante seminário temático do Partido dos Trabalhadores, em Lagoa Nova, que, se a eleição fosse hoje, ela ganharia no primeiro turno. O otimismo da petista segue as últimas pesquisas onde ela lidera com certa folga.

Questionada se, em uma situação hipotética de segundo turno, ela teria algum apoio político do candidato derrotado e, portanto, fora da disputa, Fátima respondeu que não cabe a ela escolher, mas ao povo do Rio Grande do Norte. “O fato é que estamos muito, mas muito confiantes que ganharemos essa eleição no primeiro ou segundo turno. Desde o início, nossa candidatura expressa o respaldo popular. Estamos fazendo essa campanha com os pés no chão, com muita humildade e confiamos na vitória. Essa tendência nas pesquisas tem sido acompanhada por nós nas ruas”.

A senadora também declarou que, ao ser eleita governadora, o Rio Grande do Norte fará história e irá quebrar paradigmas nas eleições de 2018. “O potiguar vai eleger, pela primeira vez, uma professora que não é filha das oligarquias, que não é representante do poder econômico, e, portanto, a primeira governadora de origem popular do Estado”.

O PT, em nível nacional, teria a eleição de Fátima Bezerra como prioridade, assim como outros candidatos em cinco estados. Seguindo ela, isso se deve ao fato do partido observar competitividade e grande chance de vitória da candidatura potiguar, à luz das recentes pesquisas de intenção de voto. “Mesmo assim, não temos salto alto. Estamos trabalhando muito e queremos dialogar com diversos segmentos da sociedade. Uma vez governadora, vou fazer o que posso para tirar o Rio Grande do Norte deste marasmo”.

LULA – Mesmo diante do imbróglio jurídico sobre a soltura ou não do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o pré-candidato a uma vaga na bancada feral potiguar, o deputado estadual Fernando Mineiro (PT), acredita que no próximo dia 15 de agosto, Lula será oficialmente registrado como candidato à presidência da República. “Não há qualquer impedimento jurídico contra a candidatura do Lula, a disputa é política. Se querem tirá-lo das eleições, tirem através do voto”, disse.

Com relação à pré-candidatura a deputado federal, Mineiro afirmou estar trabalhando para reconquistar vaga e fortalecer a coligação, formada pelo PT, PC do B e PHS. “Há um espaço grande, pois há desejo de renovação política no Estado. Essa bancada potiguar pisa muito miúdo e vira às costas para a realidade e não discute temas importantes”.

HADDAD – O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação do governo Lula, Fernando Haddad, cancelou sua vinda a Natal, neste sábado, em virtude da falha nos radares que controlam o espaço aéreo em São Paulo. Ele lamentou o ocorrido e desejou e se dispôs a falar por videoconferência durante o seminário.

Aberto ao público, o seminário faz parte da série de encontros temáticos que o partido vem realizando para debater o estado e construir, de forma participativa junto aos movimentos organizados, entidades de classe e sociedade civil, o programa de governo da pré-candidata Fátima Bezerra.

Por Wagner Guerra

Mega Sena pode pagar R$ 62 milhões neste sábado, resultado será divulgado às 20h

Resultado de imagem para sorteio mega sena
A Mega-Sena acumulou e pode pagar um prêmio de R$ 62 milhões neste sábado (21). O resultado vai ser divulgado às 20 horas e os palpites podem ser feitos até uma hora antes.

A aposta mínima, de 6 números, custa R$ 3,50 e para realizar o sonho de ser o próximo milionário, você deve marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você, que é a chamada Surpresinha, ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos, que é Teimosinha.

O ganhador pode receber o prêmio em qualquer casa lotérica credenciada ou nas agências da Caixa Econômica Federal. Caso o prêmio líquido seja superior a R$ 1.332,78 (bruto de R$ 1.903,98) o pagamento pode ser realizado somente nas agências da Caixa. Valores iguais ou acima de R$ 10.000,00 são pagos após 2 dias de sua apresentação na agência da Caixa.

Lembrando que quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do país.

Brasil terá 1,47 milhão de presos até 2025, segundo levantamento

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, apresentou nesta sexta-feira, 20, o diagnóstico sobre o Sistema Prisional Brasileiro. O levantamento mostra que até 2016 - dados mais recentes - a população carcerária era de 726,7 mil, o que coloca o Brasil em terceiro lugar entre os países com maior massa prisional do mundo. De acordo com o estudo, a expectativa é de que a população carcerária brasileira seja de 841,8 mil ao final de 2018 e que chegue a 2025 com 1,47 milhão de presos.

O ministro afirmou que a Justiça criminal adota o encarceramento como solução no País com o respaldo e apoio da opinião pública. "Exposta, vulnerável e com medo da violência, a saída (para a opinião pública) é prender. Quando não, infelizmente, matar. Esta não é a saída que tem que ter. O prende, prende e prende leva a isso (aumento da população carcerária)", disse, ao ser questionado pelo Broadcast Político.

O País enfrenta ainda um déficit de 358.663 vagas. A taxa de aprisionamento é de 352,6 presos a cada100 mil habitantes. O número, de acordo com o governo, é alto se comparado a outros países. Há ainda 586 mil mandados de prisão em aberto.

De acordo com Jungmann, o crescimento da massa carcerária não é sustentável nem em termos orçamentários, físicos, administrativos ou de controle. "O principal problema que temos hoje em termos de segurança pública é o sistema prisional. Se não enfrentarmos este problema, o Brasil caminha para se tornar prisioneiro, refém do seu sistema prisional e penitenciário. Esta frase é muito dura de se dizer, mas essa é a verdade."

O ministro afirmou que entrará em funcionamento na próxima semana a Coordenação Nacional de Inteligência e Operações contra Facções Criminosas. Segundo ele, o núcleo contará com membros do Conselho de Controle de Atividades Financeiras do Ministério da Fazenda, do Banco Central, Agência Brasileira de Inteligência, das Forças Armadas e da Polícia Federal.

"Estamos colocando ainda à disposição recursos da ordem de R$17 milhões para a instalação de bloqueadores de sinal em todas as unidades prisionais que os governos estaduais queiram." De acordo com ele, a medida tem por objetivo impedir a troca de informações entre as facções de dentro e de fora do presídio.

"Também estará à disposição dos Estados R$ 15 milhões para tornozeleiras eletrônicas. Quando se coloca o réu primário que cometeu crime de baixo impacto na prisão ele, para sobreviver, tem de ingressar na criminalidade. Vamos, então, apoiar e financiar os Estados que requeiram o mecanismo de acompanhamento."

Segundo o ministro, o presidente Michel Temer deverá assinar na próxima semana um decreto sobre política federal para egressos. "Serão disponibilizados R$ 50 milhões. A taxa de reincidência varia de 40% a 70%. Se não tivermos uma política de egressos, se quando ele sair não tiver alternativas, permanecerá nas mãos do crime organizado."

Uma outra medida citada pelo ministro é uma legislação enviada ao Congresso Nacional para que chefes de facções cumpram suas penas dentro de presídios de segurança máxima nacionais. "Hoje, esses chefes de facções passam o período de um ano. A ideia é que passem a cumprir a integridade de sua pena lá dentro."

"Queremos ainda extinguir as visitas íntimas, que funcionam de elo de informação. Também queremos legislar os parlatórios, para que as conversas sejam devidamente registradas e este acesso seja feito somente por ordem judicial para nunca prejudicar a defesa do preso. Se não cortarmos fluxo de informação dos chefes e suas gangues, estaremos enxugando gelo."

Jungmann afirma que é grande a desproporção entre o volume de presos que cumprem sentença em regime fechado e em semiaberto. Na avaliação do ministro, seria necessário ampliar o número de presos no semiaberto para reduzir o total sentenciado no regime fechado. "Como não tem unidades em quantidade suficiente para o semiaberto, o juiz manda (o condenado) para o fechado. Outro problema é que 40% dos presos encontram-se em prisão preventiva", disse.

O diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Tácio Muzzi Carvalho e Carneiro, afirmou que, no curto prazo, a expectativa do governo é de ampliar a aplicação de medidas para evitar o encarceramento - como o monitoramento eletrônico, por exemplo. "Vamos adotar e estamos tentando ver convênios que já existem com os Estados. Um segundo ponto, que não está apenas em nossa esfera, é incentivar o debate com o Judiciário, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública sobre o tema", disse Muzzi. 

Com informações do Estadão Conteúdo

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Fábio Faria critica Rosalba por indicar filho a vice: “Está vivendo em uma bolha”

O deputado federal Fábio Faria (PSD) criticou a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), por indicar o publicitário Kadu Ciarlini, seu filho, para ser candidato a vice-governador na chapa de Carlos Eduardo Alves (PDT). De acordo com o parlamentar, a ex-governadora não ouviu o “sentimento da população” ao fazer a escolha.

“Eles estão vivendo dentro de uma bolha. Não saíram de casa para analisar isso. Não tenho nada contra Kadu Ciarlini, mas ele não tem experiência política alguma. Ela [Rosalba] mostra que não quer ganhar a eleição”, afirmou o deputado, em entrevista à BAND Natal nesta sexta-feira, 20.

Na opinião de Fábio, além disso, Rosalba manifesta uma contradição ao se aliar a DEM, MDB e PDT, partidos que, em 2014, preferiram endossar a candidatura de Henrique Alves ao Governo do Estado em vez da reeleição da então governadora.

“A ex-governadora não foi candidata à reeleição porque o senador José Agripino [presidente estadual do DEM, partido ao qual Rosalba era filiada em 2014] não deu legenda a ela e preferiu apoiar Henrique. A informação que se tinha é que ela ficaria [na próxima eleição] com qualquer pessoa, menos com Henrique e Agripino. Isso [aliança] faz com que a população tenha descrédito com nós, políticos”, destacou Fábio.

O filho do governador Robinson Faria (PSD) registrou ainda que a nova união entre as famílias Rosado [de Rosalba], Alves [de Carlos Eduardo e Henrique] e Maia [de José Agripino] indigna a população. “São 70 anos de oligarquia. E, agora, mais uma vez, ela tira o filho de dentro de casa para colocar como vice-governador”, completou.

Em relação à candidatura do pai à reeleição, Fábio Faria, um dos principais articuladores da pré-campanha de Robinson, frisou que o PSD já conta com o apoio de dez partidos: PSDB, PR, PRB, PTB, Pros, PPS, Avante, PRP, PMN e PMB.

O candidato a vice-governador, segundo o deputado, sairá de uma dessas legendas. “Não vai ser um nome saído da cozinha da casa do governador. Não iremos dar um emprego de vice. Temos que ter responsabilidade com o Rio Grande do Norte”, finalizou o deputado.

Já para o Senado, apenas um nome será apresentado, apesar de duas vagas estarem em disputa no próximo pleito: o de Geraldo Melo (PSDB). “Se analisarmos as últimas campanhas, normalmente só sai um candidato a senador forte. Sempre se elegeu um senador de um lado; e outro, de outro. As chapas, para isso, colocavam um candidato a senador laranja, para cumprir tabela. Optamos por não fazer isso, até porque a população está muito atenta”, acrescenta Fábio.

A convenção do PSD que vai confirmar a candidatura de Robinson e a aliança com os demais partidos será realizada no dia 29 de julho, próximo domingo.

Agora RN